segunda-feira, 6 de março de 2017

"Quando a Teologia resolve cantar..."

Na atualidade, música gospel virou sinônimo de mercado. Não se produzem canções santas, mas apenas aquilo que vende. Por isso, é quase impossível encontrar tão facilmente canções teologicamente puras e lindas, atuais. 

O fato é que existem muitos cantores cristãos (não gospel), teologicamente profundos, e que, na maioria das vezes, são desconhecidos pela indústria fonográfica, mas que produzem trabalhos caseiros ou independentes de resultado maravilhoso. 

Esse é o caso da música a seguir. Uma composição tão bela e tão profunda, com uma teologia sadia, que é como se a própria teologia estivesse cantando. 

O resultado não poderia ser outro, lágrimas logo surgem com a canção e verdade combinada.

Confira!
 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

MAIS QUE TUDO - GUILHERME ANDRADE




“Me faltam palavras e expressões,
meus versos fracassam tentando Te descrever. 

Por mais pincéis ou tintas que eu tenha,
eu só borraria tentando Te desenhar.

Os meus pensamentos se tornam pequenos
quando penso em imaginar como és,
nem todos os acordes são o bastante
pra compor uma canção sobre Você. 

Você é mais que tudo,
Infinitamente mais do que posso imaginar”.

Música: Mais que Tudo
Autor: Guilherme Andrade



segunda-feira, 31 de outubro de 2016

E SE EU NÃO FOR TÃO HONESTO? – Uma mensagem aos fracos...


Somos Todos Fracos. Todos nós precisamos reconhecer, honestidade não é nosso forte. Quantos de nós oramos sem dar nomes aos nossos pecados? Quantos de nós nem sequer oramos depois de termos pecado? Quantos de nós sabemos que poderíamos ser mais sincero, mas ainda não somos? Quanto de nós enxergamos fraqueza atrás de fraquezas? Vencemos uma e lidamos com outras tantas? Quanto de nós nunca pensou em desistir?

Pois é, somos todos fracos! Esse devocional de Charles Spurgeon é para nós, fracos o suficiente para sermos alvo de uma graça abundante. Deus te abençoe.

"Um crente que caiu em pecado, se há resquício de vida nele, gemerá por restauração. Esta restauração exige a mesma atividade da graça manifestada na conversão. Naquela ocasião, precisávamos de arrependimento; na restauração, o arrependimento certamente é necessário. Na conversão, precisávamos de fé, a fim de que pudéssemos ir a Cristo; na restauração, somente a mesma fé pode nos trazer de volta ao Senhor Jesus. Na conversão, queríamos uma palavra do Altíssimo, dos lábios do Amado, para acabar com nossos temores; logo descobriremos que, estando agora sob o sentimento de pecado presente, precisamos da mesma palavra. Nenhum homem pode ser renovado sem uma manifestação do poder do Espírito Santo, uma manifestação tão verdadeira e autêntica como a que ele teve na conversão, porque a renovação é uma obra poderosa, e a carne e o sangue estão tão envolvidos agora como sempre estiveram. Ó Crente, permita que sua fraqueza pessoal seja um argumento para fazê-lo orar sinceramente a seu Deus, suplicando-Lhe ajuda. Lembre-se: quando Davi se sentiu incapaz, ele não cruzou os braços nem calou a boca; ao invés disto dirigiu-se apressadamente ao trono da graça e clamou: “Renova dentro de mim um espírito inabalável” (Salmos 51.10). Não permita que lhe faça dormir, a doutrina que afirma ser você, desamparado, incapaz de agir; mas, faça com que este versículo se tome um lema a impulsioná-lo, com extraordinária prontidão, a buscar o grande Ajudador de Israel. “Senhor, renova dentro de mim um espírito inabalável”. Aquele que ora sinceramente a Deus, pedindo-Lhe que faça isso, provará sua honestidade por utilizar os meios pelos quais Deus age. Gaste muito tempo em oração. Viva na Palavra de Deus. Mortifique as concupiscência que o afastam do Senhor. Tenha o cuidado de manter-se em vigilância contra futuras manifestações do pecado. Assente-se à beira do caminho e prepare-se para quando o Senhor Jesus passar. Reconheça que todo o poder tem de vir do Senhor Jesus; não cesse de clamar: “Renova dentro de mim um espírito inabalável”."
Charles H. Spurgeon

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Reflexão sobre o amor - GRAÇA COMUM



“Quando se aprende a amar, o mundo passa a ser seu... Porque amar é uma arte e nem todo mundo é artista... Amar é aquele coisa de respeitar o outro como parte de si mesmo e ao mesmo tempo como um ser totalmente diverso... Se o amor é verdadeiro, não existe sofrimento... A diferença do amor e do ódio, é que pelo ódio a gente mata, e pelo amor a gente morre... É só o amor que conhece o que é verdade; O amor é bom, não quer o mal; Não sente inveja ou se envaidece; É um estar-se preso por vontade; É servir a quem vence, o vencedor; É um ter com quem nos mata a lealdade; Tão contrario a si é o mesmo amor; Agora vejo em parte, mas então veremos face a face... É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã”



Poderia estas frases ser de um teólogo cristão, mas são só pensamentos em forma de música de um cara chamado RENATO RUSSO (dando aula de coerência a alguns “adoradores” gospel por aí).



Para nós aprendermos o que é Graça Comum. Por fim, uma pequena reflexão de uma banda verdadeiramente gospel (PalavrAntiga): “Sobre o mesmo chão está o mundo, o lado de lá que você esqueceu. Meu chão é o mundo, tem dois lados em guerra, meu mundo é este chão, onde você cresceu e eu também, ao redor de muitos ‘que nos apontaram as cercas e os muros’, eu quis o caminho, roguei pela vida, e vou subvertendo o mundo, amando a esperança que salta os muros. A fé tá na vida... o amor se espalhando aí está...”



Pra Pensar
Walter H. C. Silva

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

UM ADVOGADO MELHOR DO QUE EU



“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo” - 1 João 2:1


Já andei escrevendo sobre minha expectativa de continuar crendo em um Deus melhor do que eu (aqui). Pois é, sou Advogado, mas acredito num Deus que seja melhor do que Eu, que supere minhas expectativas quanto ao fato de advogar.

Refletindo com calma, pensei com maior profundidade no ato de Advogar, tomei por base minha própria postura, e no final, fiquei surpreendido em compreender que Meu Cristo é um Advogado Incansável.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

SOBRE O IMPEACHMENT – MINHAS CONSIDERAÇÕES





Não sou a favor do PT, Dilma, Lula, Aécio, Temer, Cunha, etc. De início, diga-se logo, não tenho lados. 
Sem sentimentalismo político, é preciso reconhecer o que Lula, principalmente (refiro-me a Era PT), fez no seu governo. É verdade sim que muita coisa mudou. É verdade sim que pobres passaram a ter carros, negócios, que pobres passaram a frequentar aeroportos. É verdade que “minha casa minha vida”, “bolsa-família”, “bolsa-isso-e-aquilo” foram alavancados em seu governo (pois é só pesquisar um pouquinho pra ver que todas as bolsas existentes à época foram reunidas e simplificadas pelo governo Lula). É tudo verdade. Não desmereço o governo Petista. Entretanto, não se pode “endeusar” governo nenhum, Petista ou Peemedebista, seja qual for o partido ou a ideologia, Comunista, Socialista ou qualquer outro “ista” que se apresente. 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

“NO MEIO DO CAMINHO TINHA UM POKÉMON, TINHA UM POKÉMON NO MEIO DO CAMINHO”



Sobre o assunto, não vou explicar o quem vem a ser o tal jogo Pokémon Go, pois já é amplamente conhecido; não vou entrar em detalhes técnicos sobre o assunto, nem mesmo vou dar atenção às teorias de conspiração, tal como aquela que as pessoas não estão lendo os termos de uso, que permite acesso completo aos dados do telefone, câmara, microfone, etc, possibilitando a CIA (sim, a CIA), ter acesso a fotos de todas as casas onde o jogo é usado. Não, não vou falar sobre isso. Minha intenção aqui é outra. Os Extremos... Sempre tem os extremos...

Eu já li vários textos que me mandaram, já vi vários vídeos que estão rodando as redes sociais, já vi vários vídeos e notícias de pessoas que se machucaram e se acidentaram por procurar Pokémon, já vi notícias de pedófilos e assaltantes que estão usando o jogo para atrair crianças e jovens, e já abri o portão de casa por causa do barulho de três garotos que procuravam Pokémon na frente da minha casa. Eu já vi o suficiente pra tirar minhas conclusões!

Não tenho nada contra quem joga, adulto ou criança, só acho um jogo tolo e fútil. Se as pessoas que jogam são tolas e fúteis eu não sei, mas eu sei que quando a gente faz muita coisa tola e fútil a gente acaba mesmo se tornando tolo e fútil, ainda que por algum período.

Agora, opinião minha, você não precisa concordar, que "mania de crente" de demonizar tudo! Caiu, é o capeta; tossiu, é o capeta; entrou um cisco no olho, é o capeta; se descuidou e agora tá com conta pra pagar, é o gafanhoto cortado; tá com um processo que não anda, é o capeta; é boticário, é do capeta; é Avon, é do capeta; Coca-Cola, é demônio purinho; Pokémon Go, é o Ciber Demônio (Oi??? Sério?), demônio de bolso, etc...

Meu Deus! Vamos afinar o tom gente? Desde que o há homens na terra Satanás tenta frustrar o relacionamento deles com Deus, tenta dominá-los, por quaisquer meios, e quer entreter a humanidade, para que esta não tenha tempo para “descobrir” Deus. Não é a Coca-Cola ou o Pokémon Go que tem demônio, é o deixar ser dominado por algo que está errado!!! O Guloso peca por não dominar-se, o Jogador sem domínio peca por não ter Domínio Próprio, que é um fruto do Espírito. Para nós, cristãos, o erro não está nas coisas, mas na forma como a utilizamos. Não devemos ser dominados por nada. Nada pode tomar o tempo que devemos dedicar a Deus.

Vamos lá pessoal, qual a diferença entre o cara que Joga Pokémon Go e o que joga Futebol no Xbox? Qual a diferença entre o que joga Pokémon Go e o que fica horas no Facebook, Instagram ou Twitter? Se você tem uma rede social como o Facebook instalado no seu celular e acessa pelo menos três ou quatro vezes ao dia, você não é diferente da pessoa que tem o Pokémon Go em seu celular. A diferente entre vocês é que aquele sai de casa pra jogar e você fica sentado olhando o Facebook. Estão perdendo tempo da mesma forma. E, na medida do tempo em que ambos perdem em tais coisas, estão se tornando igualmente tolos e fúteis.

Por fim, penso da seguinte forma: Não serve pra mim, não serve para meus filhos! Nesse momento, minha esposa e eu, cristãos, estamos batalhando pela verdade na mente e corações dos nossos filhos, sem extremismos, ensinando a verdade pura e sincera, com amor e devoção inteligente. É agora que exercitamos a autoridade que temos, nosso não deve ser não, e nosso sim deve ser sim. Existem outras formas de se divertir, e, para nós, Pokémon Go não é a melhor delas.

Por isso entendemos que o demônio não está no jogo, a ponto de dizer às pessoas ou às nossas crianças: “isso é do demônio, não faça isso”. Ao invés disso, melhor dizer: “Pense! É a melhor forma de estar livre para as pessoas e para Deus?”. Isso nos fará abdicar das coisas, tal como ter o tal jogo, por consciência, e não por medo, pois, como já disse, o jogo em si não é do demônio, é apenas um jogo completamente tolo.

É o que penso.

Walter H. C. Silva.